Procrastinação: Como vencer o hábito de adiar

A procrastinação é a máscara favorita do ser humano. Esta não é nefasta quando não interfere de forma negativa no bem-estar ou no sucesso que cada um tem como objetivo pessoal ou entre equipas. No entanto, este comportamento/hábito pode ser gravemente prejudicial quando começa a impedir o funcionamento de rotinas pessoais, sociais ou profissionais.


Procrastinar

É considerada a arte de deixar para amanhã ou para depois o que pode ser feito hoje!
O que significa que procrastinar é o ato de adiar algo ou prolongar uma situação para ser resolvida depois, mesmo que esta pode ser efetuada, decidida ou mesmo implementada num determinado momento. Agora!

Este comportamento leva a atitudes irresponsáveis, ao incumprimento de tempos, ao adiamento de decisões importantes ou mesmo pensamento por consentir, ou seja, pensamentos automáticos.

Alguns dos principais motivos pelos quais adiamos as tarefas são a falta de confiança e de autoconfiança, a falta de interesse, assim como a falta de prazer em realizar a atividade proposta. Além disso, existem outros fatores, a saber: os distratores externos, que muitas vezes levam à impulsividade do momento – agora apetece-me fazer isto, depois faço a tarefa; a falta de algumas competências individuais como foco, concentração, determinação e motivação; o perfeccionismo que provoca comportamentos como voltar a rever tudo e achar que não está bem, depois sentir que continua a faltar algo, que não está no momento certo, por isso para o ano faço, não consigo fazer, não sou capaz; o medo de fracassar; a vergonha perante os outros e o sentimento de incompetência.

procrastinacao-2

Deste modo, é possível afirmar que a procrastinação é originada muitas vezes pela desmotivação, pela falta de energia, bem como pelo medo de falhar. O inconsciente encontra uma forma de mostrar que está inseguro, com dúvidas ou que é necessário reorganizar algo em nossas vidas. Em alguns casos, a procrastinação apresenta manifestações psicossomáticas.

Como já foi referido, procrastinar é uma máscara utilizada por todos. Muitas vezes, são utilizadas expressões como estas “voltar a deixar passar”, “vou adiar para amanhã”, “ainda tenho tempo”, “não estou com vontade”, “depois consigo fazer”, entre tantas outras. O que leva a que realizações pessoais e profissionais fiquem por concretizar pelo receio de falhar.

Este comportamento aumenta a ansiedade, a desvalorização pessoal e o stress. Por outro lado, reduz a liberdade de expressão, reduz o sucesso, permitindo que o sentimento de culpa exista, que a vergonha apareça, criando insegurança e aumentando a falta de confiança de cada individuo que procrastina continuamente, hoje, amanhã e depois de amanhã.

Desenvolver competências individuais com a ajuda da Psicoterapia/Hipnoterapia pode ser diferencial para o desenvolvimento da autossegurança, da autoconfiança, da tomada de decisão, da autonomia, da gestão do tempo e da motivação intrínseca. Note-se que estas competências são um chavão para atingir resultados de elevada satisfação pessoal.

O que posso fazer para deixar de procrastinar?
Podem ser usadas estratégias para combater este hábito!

procrastinacao-como-vencer-o-habito-de-adiar-terapia

Metas e objectivos

Devem ser estipulados objetivos para atingir as metas desejadas, com prazos e tempos para conclusão das tarefas ou das fases necessárias para cada momento de realização das tarefas.

Prioridades nas tarefas

As tarefas devem ser realizadas mediante a prioridade. As mais prioritárias devem ser realizadas em primeiro lugar. Devem ser identificadas as tarefas mais e menos prazerosas, sendo que as menos prazerosas são as primeiras a serem cumpridas.

Pausas planeadas

As pausas devem ser planeadas e ajustadas às necessidades de cada pessoa. É importante cumpri-las para que seja possível renovar energias, de modo a facilitar o término da tarefa com sucesso e de forma saudável.

Reforços positivos

Após a conclusão das tarefas, os reforços positivos podem ser diversos. Estes podem assumir um carácter financeiro, material, emocional ou basearem-se no reconhecimento pessoal, entre outros.

Estamos juntos por si!

Sobre o autor

Dra. Mariana Pereira

Dra. Mariana Pereira

  • Formada em Terapia Diamante® pela Dra. Rosa Basto
  • Licenciatura em Psicologia, pelo ISLA
  • Formada em diversas áreas da Psicologia (ansiedade, depressão, luto, infertilidade, inteligência emocional, métodos de estudo, avaliação neuropsicológica entre outros)
  • Mediadora Familiar, Reconhecida pela Direção-Geral da Política de Justiça (DGPJ)
  • Professora de Yoga Baby, pela Escola Sunshine Yoga
  • Instrutora de Meditação e Relaxamento para Crianças, pelo FEEL
  • Formadora na área comportamental no ensino público e privado
  • Pós-Graduada em Gestão de Recursos Humanos, pelo ISLA

Comentários